jun 302014
 

28.weeks.later.200728 Weeks Later é um filme pós-apocalíptico Espanhol – Britânico, lançado em 2007 dirigido e escrito por Juan Carlos Fresnadillo, cuja produção contou com o diretor do filme antecessor, 28 Days Later, Danny Boyle

Extermínio foi lançado em 2002 e esta é a sua continuação, Extermínio 2, que foi dirigida por Juan Carlos Fresnadillo.


Em 2013, Antes que os fãs de Extermínio que esperassem um terceiro filme, o diretor Danny Boyle falou com pessimismo sobre 28 Months Later, segunda sequência de Extermínio, dizendo que havia entre 40 e 60% de chances do filme acontecer! As notícias não foram boas. Danny falou um pouco sobre as possibilidades de 28 Months Later, mas deixou claro que não estava muito interessado em dar continuidade à franquia:

“Quem diria? Eu não gosto de filmes de zumbis. Nunca gostei. Nós pegamos um gênero e o estragamos. Os fãs de zumbis dão muito valor às suas regras. Como correr: ‘Eles nunca fazem isso!’. É claro que há tantas manifestações de zumbis agora que as regras já eram. Eu vi um episódio de The Walking Dead e foi bem interessante. Mas os zumbis estavam cambaleando de novo, e eu odeio isso. É difícil saber se os zumbis estão superexpostos agora como conceito. Então há entre 40 e 60% de chances do filme acontecer. Mas nós tivemos uma ideia de onde se passaria a história e sobre o que poderia ser”.”

Em janeiro de 2015, o roteirista Alex Garland aparece com notícias bem melhores. Em conversa com o IGN, Garland contou:

“Nós acabamos de começar a falar seriamente sobre isso. Nós temos uma ideia. Danny [Boyle], [o produtor] Andrew [Macdonald] e eu temos tido discussões sérias sobre isso, então é uma possibilidade. É complicado. Há várias razões porque é complicado, e são bem tediosas, então não vou entrar em detalhes, mas há uma possibilidade”. O roteirista falou também sobre o período: “É mais provável ser 28 Meses do que 28 Anos. 28 Anos te dá mais um lugar para ir. 28 Décadas é, provavelmente, brincadeira”.


Download nas versões 720p e 1080p 

 


Curiosamente, assim como ocorreu também com Terra dos Mortos (Land of the Dead, 2005), o quarto filme da série de George Romero, o filme teve uma passagem irregular nos cinemas, sendo exibido em poucas salas e horários, obrigando um esforço adicional para tentar não perdê-lo nas telas grandes. A violência de seu conteúdo certamente contribuiu para essa dificuldade. Entre os vários destaques, vale registrar:

* os movimentos super rápidos da câmera na cena inicial do ataque dos infectados contra um grupo de sobreviventes escondidos numa cabana, aumentando ainda mais uma sensação inquietante no espectador, já previamente consolidada graças aos acontecimentos da história (grupo isolado lutando pela sobrevivência num confronto com criaturas que querem devorá-lo vivo);

* a fuga desesperada do personagem de Robert Carlyle, correndo sozinho por um campo, sendo perseguido por uma legião de infectados furiosos que surgem em número cada vez maior do alto das colinas, ávidos por destroçar seu corpo em pedaços;

* a magnífica trilha sonora, se encaixando perfeitamente no clima depressivo de desolação das cenas violentas de combate entre os infectados e os militares;

* a sequência extremamente sangrenta envolvendo um helicóptero e um grupo de infectados (e que talvez possa até ser uma homenagem ao clássico Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead, 1978), de George Romero; 

* uma outra seqüência passada no interior do metrô totalmente escuro, com os sobreviventes em fuga caminhando sem enxergar nada, utilizando apenas como referência a mira telescópica de um rifle, podendo encontrar a morte a qualquer momento através de um ataque de infectados;

* a atuação brilhante do experiente ator Robert Carlyle (de Mortos de Fome / 1999, e Eragon / 2006), tanto nas cenas dramáticas, quanto nos momentos em que expressa uma fúria primitiva;

* a declaração de código vermelho pelo exército americano, autorizando um bombardeio aéreo contra a área de segurança, com bombas incendiárias de grande poder de destruição, em efeitos bem produzidos e convincentes;

* a totalmente perturbadora característica dos infectados, que possuem extrema ferocidade e agilidade nos movimentos, além de utilizarem muita violência em seus ataques, não faltando por isso cenas carregadas de gore;

* o desfecho sempre apocalíptico, que já é uma marca registrada nos filmes sobre pragas assolando a humanidade, que nos faz pensar na impossibilidade de conter o caos.


 


 

Sinopse:
Seis meses após um poderoso vírus ter aniquilado a população britânica, a reconstrução do território começa a ser feita pelo exército norte-americano. As famílias refugiadas voltam a se instalar em suas casas , mas uma delas, sem saber, carrega um membro portador de uma mutação mais destruidora que a anterior. O caos e a epidemia voltam a se alastrar pelas ruas, obrigando o mundo inteiro a se mobilizar contra o mal.

Ficha Técnica:
Nota IMDb: 7.0
Título Original: 28 Weeks Later
Ano: 2007 • País: UK, ESPANHA
Direção: Juan Carlos Fresnadillo
Roteiro: Juan Carlos Fresnadillo, Rowan Joffe, Enrique López Lavigne, Jesús Olmo
Produção: Enrique López Lavigne, Andrew Macdonald, Allon Reich
Elenco: Jeremy Renner, Rose Byrne, Robert Carlyle, Harold Perrineau, Catherine McCormack, Idris Elba, Imogen Poots, Mackintosh Muggleton, Emily Beecham, Garfield Morgan, Shahid Ahmed


Fonte e texto na íntegra: bocadoinferno.com.br

  8 Comentários para “28 Weeks Later – 2007”

  1. Para mim um dos melhores filmes do gênero.

     
  2. Adorei esse! Bem melhor que o primeiro Vale à pena conferir.

     
  3. melhor que o 1° filme da franquia ..
    assisti faz tempo mas veria de novo.
    vale a pena conferir.

     
  4. não acredito que Danny Boyle deu essa declaração…ele não estragou o gênero,pelo contrário,trouxe vigor a ele….vigor e inovação,acho que antes dele não havia ”infectados” velocistas
    extermínio nunca oficializou-se como um filme de zumbi,esse termo não é citado nos longas…mas é obviu que o filme se encaixa na categoria…”exterminio” apenas usa outra terminologia para designar esses canibais.

    o primeiro filme foi muito bom,o segundo foi excelente…….só faltou um terceiro pra fechar com chave de ouro.

     
  5. Bem inferior ao primeiro por causa do porrilhão de coincidências que o roteiro apresenta.
    Por outro lado a sequência inicial é ultra-mega-phoda e há outra muito boa tb é quando liberam o snipers para abrirem fogo a vontade.

    Apesar de serem infectados, sou da ala que o considera sim como do genero zombie-movie.

     
  6. Quando saiu no cinema o primeiro eu achei “mais um filme do estilo”… “mais uma m…..”
    Alguns anos depois assisti o primeiro na TV, mordi a língua, um dos melhores. Em seguida baixei o segundo e foi ainda melhor! Super recomendo!
    Titus

     
  7. Um dos melhores filmes do género, tanto o 1 quanto o 2. Sensacional!

     
  8. Mais 28 dias nunca foi sobre zumbis!!.so vc dar uma pesquisada mais a fundo que vc descobrira a verdade.Começa com os macacos infectados com um vírus que sao altamente contagioso em humanos VIVOS!!e nao em mortos. Em nehum momento o filme cita mortos-vivos.O cérebro do povo ja esta tao acostumados em pensar nos elementos que o filme mostra que e mais facil associalo a um filme de zumbis enquanto ele nao é.

     
error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: