jun 102015
 

Dez perguntas e respostas fornecendo as informações básicas e importantes sobre o registro de um domínio de internet.

01. Porque registrar um domínio?
A finalidade do registro de um site é garantir que esse domínio seja utilizado exclusivamente pela pessoa que o adquiriu. Os órgãos reguladores agem, neste contexto, no sentido de impedir que duas pessoas ou empresas façam o registro do mesmo domínio. Para que um domínio se torne de conhecimento público, ele deverá ser “registrado” junto aos órgãos reguladores da internet em um país. No Brasil, esse papel regulador é exercido pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

02. Por que é interessante registrar um domínio?
Com o registro de um domínio é possível garantir a utilização desse nome no futuro. Se o seu domínio está disponível hoje, e você o registrar imediatamente, estará assegurando que outros não poderão registrá-lo, salvo se existirem envolvimentos de marcas e patentes de terceiros.

03. O que é um subdomínio?
São comumente oferecidos por provedores para seus usuários ou pelos servidores que oferecem editores on-line ou hospedagem gratuita de sites na internet. Um exemplo desses é o http://tumblr.com/. Quando criamos um blog (por exemplo) no Tumbrl.com, o endereço fica algo como: http://portanova.tumblr.com/.

Leia mais no itém 10.1. logo abaixo.

04. Posso ter um domínio .COM mesmo que minha empresa esteja estabelecida no Brasil?
Sim, domínios .COM .NET e .ORG e demais extensões internacionais podem ser registrados por empresas de qualquer país.

05. É necessário CNPJ para registrar um domínio internacional?
Não. O nosso painel de administração conecta-se diretamente aos órgãos que regularizam os respectivos domínios internacionais, possibilitando a administração do seu domínio em tempo real.

06. Para ter um domínio com extensão internacional, preciso ter um site fora do Brasil?
Não é necessário. Seu domínio poderá responder por um site hospedado em qualquer provedor de hospedagem, no Brasil ou no exterior. Para a hospedagem de um site, fale conosco.

07. Quanto tempo demora para registrar um domínio?
O registro de seu domínio será concluído dentro de 12 até 48 horas úteis, após recebermos sua confirmação de pagamento. Esse prazo é válido para pedidos e confirmações realizadas entre 06:00 e 18:00 horas do Brasil, em dias úteis.

08. Preciso ter um site ou uma página pronta para registrar um domínio?
Não é necessário! Você pode registrar um domínio para reservá-lo e garantir que ele será utilizado por sua empresa. Se registrar conosco, o domínio poderá exibir um de nossos modelos de página em construção ou ainda, ter a opção de não exibir conteúdo ou simplesmente uma página que desejar.

09. Qual a diferença entre registrar um domínio e hospedar um domínio?
O registro de um domínio garantirá que aquele nome ficará sob a sua responsabilidade e será de sua autoridade. A hospedagem de um domínio permite que você personalize uma página para sua empresa, forneça meios de contato, informações sobre seu produto ou serviço, além de oferecer uma nova forma de divulgação de sua empresa, gerando novos negócios! Ou seja, a hospedagem garantirá a criação do site de sua empresa, com o domínio já reservado em seu nome.

10. Como escolher domínio?

Tecnicamente, domínio é um nome que serve para localizar e identificar conjuntos de computadores na Internet. O nome de domínio foi concebido com o objetivo de facilitar a memorização dos endereços de computadores na Internet. Sem ele, teríamos que memorizar uma sequência grande de números. Então, o endereço de um website nada mais é do que um atalho para encontrarmos o computador onde ele está hospedado.

Contudo, mais do que um atalho, o endereço é parte da identidade do site. Um bom domínio é facilmente memorizado e é capaz de trazer um grande número de acessos.

Por isso, esta é uma das etapas mais importantes mas também uma das mais negligenciadas por quem publica um website. Ao escolher o domínio é importante ter em mente que esta escolha o acompanhará por todo o tempo em que estiver no ar, afinal ele será o endereço do site.

Sabe aquele ditado que diz que “a primeira impressão é a que fica”? Pois bem, muitas vezes o endereço do site será o responsável por causar esta primeira impressão no usuário.

Por tudo isso é fundamental escolher bem seu domínio. As opções disponíveis atualmente são inúmeras e vão desde domínios nacionais (com final ‘.br‘) ou internacionais e até domínios utilizando acentuação etc. Então é importante atentar para alguns critérios ao de fazer sua escolha.

10.1. Domínios são compostos em três etapas:

1] O nome da organização detentora do domínio, que pode ser o seu nome real ou, mais freqüentemente, um nome de fantasia.
2] O nome do domínio, que corresponde ao tipo de organização envolvida. Existem inúmeros tipos de organizações admitidos e o mais comum é o “com”, que abrange organizações comerciais; o “org” que representa organizações não-governamentais (as ONGs); o “edu” que representa as educacionais; o “gov” que engloba todos os órgãos dos governos, bem como os diversos sufixos de dominios disponíveis (gov.br gov.rs); etc.
3] A última parte do nome de domínio representa o país. Assim, “portanova.com.br” indica um site com registro de domínio comercial no Brasil; “sapo.pt” representa um site registrado em Portugal e “fbi.gov” indica um site do governo dos Estados Unidos. Quando omitida a sigla do país de origem, indica que o site está registrado nos Estados Unidos, devido ao fato que eles originaram á internet.

10.2. Os subdomínios de um domínio principal

Exemplo em “portanova.com.br”: ‘portanova‘ representa o nome da organização, o .com o tipo de domínio (comércio) e .br a localização (Brasil).

Normalmente, o “.br” é focado exclusivamente para as atividades brasileiras, com depoimentos e pareceres daqueles quem fazem parte da sociedade que fala e vive no brasil, como por exemplo “portanova.ADV.BR”.

Uma alternativa para se construir a parte “dinâmica” e atualizada (um blog interativo, por exemplo), é a criação do(s) domínio(s) públicos que se pode comprar em alguns portais como gandi.net ou whois.com Outros exemplos:

portanova.us | portanva.org | portanova.com | portanova.net | [etc]

Todos eles podem apontar em um endereço único, através de espelhos de DNS, bem como podem separar os domínios em grupos separados e distintos entre si e que são importantes como “estratégia comercial”, tendo em vista que poderão ser feitos diversos subdomínios.

Subdomínio não tem custo de adesão. É importante ter uma forma fácil e de imediata memorização, utilizando a estratégia dos nomes de domínios. Cada domínio brasileiro tem o custo de 30 reais anuais e é pago anualmente ao administrador ou diretamente ao órgão que regulamenta o domínio.

De maneira prática, a utilização de domínios e criação de subdomínios podem ter diversas finalidades:

Exemplo:

Em http://www.reinaldo.portanova.com.br teremos um site, com depoimentos exclusivamente do ‘reinaldo‘, que é independente do principal. Para um domínio podem ser feitas vários subdomínios personalizados. Cada um deles um gerenciador [cmd] em um site diverso do principal. A maior vantagem na criação de domínios é a ‘personalização’ facilitando seu e-mail que também é personalizado. Seguindo exemplo: e-mail@reinaldo.portanova.com.br

No momento em que alguém faz busca de palavras em qualquer local do mundo, as terminologias de endereço .com, org, net, são mais populares, no entanto existem diversas outras. O que vale é realmente a personalização e valorização da identidade virtual, ser único e exclusivo. O mesmo pode acontecer com qualquer pessoa de terem seus nomes próprios domínios virtuais é o de prover sites para a publicação de conteúdo, empresas; loja virtual; mercados verticais ou mesmo  estático (um cartão de visitas), para que no futuro tenha seu espaço garantido e único daquele domínio.

O zelo pelo funcionamento destes serviços estarem funcionando competem ao Administrador de Domínio e Portanova Host dá este suporte, orientando e colaborando na preservação e backup dos dados que são cliente. o Proprietário do Domínio, que ainda deverá exercer ou conhecer o funcionamento das duas funções. Princípio básico da “posse e da propriedade”.